Motorista de aplicativo é alvo de injúria racial por passageira e filma ataque; veja vídeo - Fala Alagoinhas News | Portal de Alagoinhas e Região

Motorista de aplicativo é alvo de injúria racial por passageira e filma ataque; veja vídeo

Share This

 

Um motorista de aplicativo foi alvo de injúria racial por uma passageira durante uma corrida em Salvador. De acordo com a vítima, os ataques aconteceram após ele se recusar a fazer uma manobra irregular no trânsito.

A ação criminosa foi gravada pelo condutor. À Record TV Itapoan, o trabalhador identificado com Noelson contou que iniciou a corrida no Shopping da Bahia, na região do Caminho das Árvores, com destino ao Salvador Shopping.

"Ela pediu que eu descesse a calçada, fizesse uma 'roubadinha' e eu me recusei. Disse que era um crime de trânsito, que poderia provocar um acidente: 'não, senhora, tenho que fazer a volta'", relata. "Ela começou a me ofender. Eu disse 'a senhora solicita outro veículo'. Ela começou a me ofender e vieram aquelas palavras", prosseguiu. 

No vídeo, a senhora, acompanhada de um menino, chama o condutor de "desgraçado preto". "Por isso que tá trabalhando de Uber. Filho da p***. Por isso que tá na merda. Desgraçado preto", diz a mulher.

O trabalhador conta que, após a passageira deixar o veículo, foi à 35º Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Iguatemi), na região. Uma guarnição tentou localizá-la, mas não conseguiu. Ele prestou queixa.

"Em 33 anos eu nunca tinha passado por isso [...] A gente vê passando na televisão, noticiários, mas nunca acha que vai acontecer com a gente. Na cidade mais negra fora da África, no século 21, com 33 anos, nunca me passou acontecer isso aí", desabafou a vítima.

"Pra mim, do jeito que ela agiu, é normal pra ela. Como se ela já viesse fazendo aquilo há muito tempo [...] Eu estava trabalhando, saio todo dia e não sei se eu volto. Fica aquela coisa. Não consegui dormir direito, não consegui comer direito", acrescenta. O homem relatou que também tem tido dificuldade para conseguir dirigir. 

O advogado de Noelson, Marcus Rodrigues, explica que o crime de injúria racial, previsto no Código Penal brasileiro, é considerado, desde 2018, por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), como imprescritível e inafiançável. "Se tivesse passando uma viatura, ela poderia ser presa em flagrante", afirma.

A reportagem procurou a Polícia Civil para falar sobre o caso, mas não teve teve resposta até a publicação da matéria.

Veja vídeo:

Classificação Indicativa: 10

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

Pages